Prêmio Empreendedor Social de Futuro, da Folha de São Paulo, vai para a ASID, de Curitiba; Escola de Notícias concorria também com a carioca “Meu Rio” na mesma categoria.

Pela primeira vez, uma iniciativa que nasceu na periferia figurou entre os finalistas nacionais do Prêmio Empreendedor Social, organizado pelo jornal Folha de São Paulo e pela Fundação Schwab, organização internacional que fomenta o empreendedorismo. Concorrendo na Categoria Empreendedor Social de Futuro, o Escola de Notícias, representado por Tony Marlon, disputou com a Meu Rio, da capital fluminense, e com a ASID, de Curitiba, a vencedora, o prêmio da edição 2013.

 

Foram quase nove meses entre a inscrição e a festa que apresentou os vencedores. Nesse meio tempo, o Escola de Notícias teve páginas e mais páginas de documentos analisadas, e recebeu a visita da comissão organizadora da premiação para entrevistas com a equipe, conversas com beneficiados pelas nossas ações, com parceiros institucionais e clientes.

O resultado desse estudo aprofundado sobre o EDN virou um documento de diagnóstico que foi entregue ao Júri Técnico do prêmio, e que serviu como base para escolha do vencedor de 2013. Veja a lista da Rede Folha de Empreendedores Socioambientais clicando aqui.

empreender

“POR QUE O SENHOR ATIROU EM MIM?”

Durante a cerimônia, transmitida ao vivo pelo Portal UOL e pela Folha, todos os finalistas foram chamados ao palco para serem certificados como finalistas. Tony aproveitou o momento para chamar a atenção de todos para a morte do adolescente Douglas Rodrigues, morador da zona norte de São Paulo, em outubro, pela Polícia Militar.

No dia 27, domingo, Douglas foi baleado no tórax após uma abordagem policial. Segundo a PM, o disparo foi um acidente. Depois de ser atingido, Douglas teria perguntado ao policial o motivo do disparo. O adolescente morreu no hospital do bairro minutos depois. Até agora, ninguém foi responsabilizado pelo crime.

caiseta

A camiseta com a frase dita por Douglas, e usada por Tony ao subir ao palco, é uma tentativa de não deixar fatos como esse caírem no esquecimento. E lembrar que acidentes como esse, infelizmente, parecem ter idade, cor e endereço: jovens, negros e moradores da periferia.

AGRADECIMENTOS

O Escola de Notícias não tem patrocinadores, nem apoiadores institucionais. Nesses dois anos e meio de vida, ainda não existimos juridicamente, o trabalho desenvolvido é financiado pela comercialização de produtos e serviços em comunicação oferecidos a grupos da região e empresas. Tudo que é captado por meio da Empresa Social é reinvestido integralmente na Escola de Comunicação Comunitária, formando jovens em comunicação, e no Jornal Viver Campo Limpo, com tiragem gratuita de 10 mil exemplares.

time

Contamos isso, pois acreditamos que, tão importante quanto ganhar o prêmio, é ocupar o espaço que ocupamos em toda essa história: ser considerada uma das três iniciativas mais transformadoras e inovadoras criada recentemente no país. Só isso já basta pelo momento em que estamos.

Toda e equipe do Escola de Notícias agradece imensamente a todo mundo que participa de nossas atividades, a todo mundo que colabora com o que tem e sabe, a todos que torcem para que as coisas aconteçam da melhor forma possível e aos nossos parceiros e clientes que nos ajudam a existir, como existimos. Sem vocês, diria o poeta, nada seríamos.

Obrigado.
Vencemos.
Todo dia e o tempo todo.
Pois só há vencedores, quando todos ganham juntos.