Conselheiros se encontram para coconstruir produtos e serviços da Escola de Notícias

Como a Escola de Notícias se mantém e se manterá no futuro? Essa foi a pergunta que circulou no sábado, 9/05, dia de sol e de decisões importantes durante o encontro mensal do Conselho Consultivo da Escola de Notícias (EDN), no Espaço Cultural Nathalia Rosemburg, na Praça do Campo Limpo.

O foco foi reunir essa galera para decidir quais produtos e serviços a EDN irá oferecer daqui pra frente, durante sua jornada. Para facilitar o papo, Tony Marlon, responsável por projetos e parcerias da Escola de Notícias, fez uma dinâmica que partiu da ótica de quem está do outro lado do negócio: com quem participou da jornada de aprendizagem da EComCom (ex-alunos, educadores e equipe).

“A Escola de Notícias está participando de uma formação da Universidade da Correria, do Rio de Janeiro, com foco em modelagem de negócios. Como lá estamos discutindo exatamente isso, quais são os produtos e serviços que entregamos para monetizar a organização, decidimos ampliar a conversa envolvendo o conselho consultivo. Outro dia eles estavam como alunos, agora, estão do outro lado. Ao ver exatamente como são os bastidores, como as coisas se organizam para que eles e muitos outros jovens, eles recebem, gratuitamente, formações em comunicação”, contou Tony.

Após a explicação e inspiração do Tony sobre o momento atual da Escola de Notícias, durante quinze minutos, os conselheiros escreveram suas sugestões em forma de post-it de diversas cores. Todos tiveram espaço para dar sua contribuição. Fernanda Morais, conselheira e participante do Ciclo 3 da Escola de Notícias, contou um pouco sobre como se sente nesse grupo e como foi o encontro de sábado.

“O conselho em si é algo que não dá pra imaginar se você olhar como as estratégias institucionais de algumas empresas funcionam. Deixar nas mãos de jovens assuntos de grande importância para a Escola de Notícias é algo espetacular. A dinâmica que aconteceu na última reunião é um exemplo da confiabilidade que acontece entre a instituição e os ex-alunos dela. Eu gosto disso, pois mesmo já tendo saído de lá, ainda me sinto presente em um dos projetos que mais gostei de ter participado na vida”, disse.