2º encontro InspirAÇÃO do ano teve como convidada a diretora de cinema e teatro Laís Bodanzky.

Por Eric Silva.

No último sábado (15/10), no Espaço Cultural CITA – Cantinho de Integração de Todas as Artes rolou o 2º encontro de InspirAÇÃO da Escola Comunitária de Comunicação, a convidada mais que especial foi Laís Bodanzky, diretora de cinema e teatro que topou imediatamente nosso convite: “Quando vocês fizeram o convite eu aceitei na hora porque eu queria”, comenta Laís.

Foi a 1ª vez de Laís no bairro do Campo Limpo, mas comentou que a produtora idealizada por ela e o cineasta Luiz Bolognesi, a Buriti Filmes por meio do Instituto Buriti realizou diversas oficinas educativas de alfabetização audiovisual em diversos locais de São Paulo e o Campo Limpo, e a Zona Sul no geral estavam contemplados: “Eu não conhecia o CITA e nem pessoalmente a Escola de Notícias, foi tudo uma boa surpresa”, Laís afirma.

Laís compartilhou como soube da Escola de Notícias, sobre seu primeiro contato com nosso trabalho: “A gente fez um projeto de uma série de documentários chamada #JuventudeConectada, onde uma equipe da Buriti veio e entrevistou o pessoal aqui, foi a primeira vez que ouvi falar da Escola de Notícias” (veja o episódio #ComunicaçãoDemocrática).

Laís e xs jovens da ECOMCOM2016.
Foto: Karol Oliveira.

A conversa começou por volta das 11 horas e teve duração de 1 hora, a turma dxs jovens estava ansiosa para realizar suas perguntas e de ter a oportunidade de tirar dúvidas com uma profissional de 20 anos na área do audiovisual e que também falou de outros temas inspiradores para todxs xs presentes.

Laís por sua vez comenta da importância da conversa presencial e de como o grupo lhe acolheu bem: “Acho que o mundo virtual ele é muito importante para divulgar ideias, mas no presencial que a gente sente a alma do lugar, a verdade, a sinceridade do projeto e senti isso aqui. Com xs participantes que foram todxs muito carinhosos e carinhosas e bastante receptivos, valorizando ainda mais esse encontro”.

A Laís conta como é poder ajudar através do diálogo, da troca de saberes com xs jovens que estão praticando e construindo uma comunicação em diversas mídias: “Quando a gente sente a dificuldade ficamos a flor da pele e quer buscar caminhos, então o que eu senti e foi gostoso na conversa foi isso, de pessoas que realmente estão buscando algo que elas ainda não sabem, mas dá para ver que elas precisam muito”.

Foi um diálogo muito enriquecedor que ultrapassou as barreiras do audiovisual, sendo uma troca de conhecimentos que todxs vão se lembrar por muito tempo. “Achei que a conversa foi ótima e de alto nível, de pessoas que estão colocando a mão na massa, então a gente percebe quando as pessoas estão sofrendo com o fazer do dia a dia, que é bem difícil sempre”, finaliza Laís.