Primeira das quatro Sessões Comunitárias da Escola de Comunicação, encontro reuniu cerca de 60 pessoas no sábado [16], no Espaço CITA.

É assim: ao fim de cada um dos quatro módulos de aprendizagem da EComCom, reunimos as pessoas que tiveram suas histórias contadas pelos jovens durante aquele período para algumas horas de inspiração, prestação de contas sobre o que fizemos com suas memórias, além de agradecer a todos por confiarem em que tudo que propusemos. Batizada de Sessão Comunitária, esse encontro recebe também um convidado especial que fale sobre o tema do módulo, contando suas vivências.

Para ler todas as matérias sobre a Escola de Comunicação clique aqui.

E já que o Módulo I é focado em biografias, e no primeiro nível de comunidade na qual nos engajamos em nossa vida, a família, convidamos o contador de histórias João Luiz do Couto para inspirar pais, irmãos, familiares longes e distantes dos jovens que integram as oficinas de Jornalismo & Escrita Criativa, Fotografia & Vídeo e Criação Gráfica. Sim, era um sábado, sete da noite, frio, e mais de 30 pais e mães estiveram no Espaço CITA para saber mais sobre o que os filhos estão aprendendo sobre si e sobre o Campo Limpo.

MAPEANDO TALENTOS, RECURSOS E SONHOS

Entre apresentações institucionais, de nossa história como organização, da equipe de trabalho e uma explicação sobre o que sonhamos com a nossa Escola de Comunicação, uma das atividades colocou todo mundo para fazer seus talentos andarem. Camila Vaz, responsável técnica pela EComCom, puxou um World Café com todos os presentes com uma pergunta simples e complexa ao mesmo tempo: qual é o meu maior talento atualmente? Aquilo que cada um de nós sabe fazer mais e melhor, no cotidiano? A brincadeira foi que você tinha que prestar muita atenção aos talentos e habilidades do outro. Não foi simplesmente anotar num pedaço de papel, mas todos os talentos mapeados tinham que nascer de uma conversa com os outros convidados da Sessão Comunitária.

E aconteceu muito mais coisas nessa Sessão Comunitária #1. Inclusive uma exposição sensorial com as produções dos jovens no Módulo I, transformando em um labirinto todas as memórias pessoais e das famílias dos participantes.

Mais sobre isso vamos falar na próxima matéria. 😉