Participantes da Escola de Comunicação apresentam as suas produções na sessão comunitária #3

Se você pudesse revisitar e repensar os espaços de aprendizagem que você passou ao longo da sua vida, como seria? Com essas e outras investigações que, no dia 17/10, os 14 participantes da Escola de Comunicação (ECOM) da Escola de Notícias organizaram a Sessão Comunitária #3 da Temporada 2015, no tema Escola – que fecha o terceiro módulo da jornada de aprendizagem que trilharão até o final do ano. O Espaço Cultural Nathalia Rosemburg, em frente à Praça do Campo Limpo, abrigou o evento que contou com a participação da comunidade local.

A ideia é que cada turma de cada oficina da ECOM mostre ao mundo o que produziu nesta etapa. “Acredito que essa turma tem uma reflexão muito intensa sobre os processos. Prova disso é a reflexão proposta em cada um dos produtos feitos por eles. Em uma jornada onde já falamos sobre identidade pessoal, sobre família, sobre comunidade e agora sobre escola, a turma se põe muito provocada em vários momentos, o que fortalece e enriquece o processo como um todo”, afirmou Camila Andrade Vaz, coordenadora técnica de projetos e educadora da oficina de Fotografia & Vídeo da ECOM.

Durante a sessão comunitária, os jovens organizaram um momento especial para apresentação dos produtos. Primeiro, a turma da oficina de Criação Gráfica contou sobre o processo de construção do livro “As matérias que nos fazem sentido”. Após o sorteio de alguns exemplares, foram organizadas duas sessões paralelas: uma com a turma de Fotografia & Vídeo, com apresentação do curta-metragem “Ponto de Partida”, e outra com a turma de Jornalismo & Escrita, com apresentação do blog “Vivensinando”, que contou com um telejornal ao vivo.

O curta-metragem

Os quatro jovens da turma de Fotografia & Vídeo produziram o curta-metragem “Ponto de Partida” para discutir o ambiente escolar, as dificuldades de entrar em uma escola nova, suas relações e outras reflexões.

“O terceiro módulo foi o maior desafio da oficina de Fotografia até agora. Tanto para colocar em prática todas as oficinas que foram teóricas quanto para se encontrar quanto grupo, tomar decisões, resolver conflitos, criar um filme do zero. Foram três diárias para gravar os 12 minutos. O grupo conseguiu grandes parceiros no caminho, como o colégio Alvorada que recebeu os atores por duas tardes. Acredito muito que o fato de ter um produto grande nesse módulo fez com que os jovens tivessem que entender não só o passo a passo, mas a importância de cada papel na organização, a energia e o comprometimento que é posto na produção também”, detalha Camila.

Marcus Assunção, participante da oficina, contou um pouco sobre esse processo. “Participar do curta foi esplêndido. Aprendi e compreendi muita coisa que me fortaleceu, principalmente em coisas que planejava. E foi daí que tirei as informações necessárias para abrir a minha mente fazendo, das próximas experiências, melhores. A importância disso na minha vida é a realização. Estou me sentindo feliz por me realizar em um sentido que posso descrever como avaliação/reavaliação do que eu quero para o meu futuro.”

Para assistir ao curta-metragem, mergulhe no link:

O blog

A turma de Jornalismo & Escrita Criativa contou com cinco jovens para produzir o blog “Vivensinando”, com matérias feitas pelo grupo que discute aprendizado, formas de aprender e crônicas.

Thais Zanetti, uma das participantes, falou um pouco sobre o projeto. “Ele foi um grande desafio, principalmente porque fiquei com a diagramação e tive que organizar tudo. Foi puxado, mas me ajudou muito a ver que consigo ser organizada sozinha e fazer algo bonito. E também isso está muito relacionado com a área de editoração (que é o curso que pretendo fazer), então foi uma boa experiência.”

Para Bluno Souza, o processo de criação do blog foi divertido, por conta do grupo, e proveitoso para a sua vida profissional. “Foi difícil no começo, por causa de todas as técnicas jornalísticas, mas tivemos bastante tempo para aprender, assimilar e reproduzir tudo o que foi passado pela Ana Vastag, facilitadora da Oficina. Foi muito gratificante ver tudo pronto. O trabalho em grupo foi a coisa que mais ficou enraizada em mim. Além disso, foi muito interessante ouvir e deliberar as opiniões dos outros e deixar a minhas convicções de lado, tudo pelo bem de algo maior, o blog. Como pretendo fazer faculdade de jornalismo e seguir na área profissionalmente, os macetes, técnicas e experiências com o desenvolvimento do blog serão base para o meu futuro profissional.”

O livro

A turma de Criação Gráfica produziu o livro “As matérias que (nos) fazem sentido”, com as matérias que mais fazem sentido para eles, diagramando e escrevendo o livro todo do modo que acreditam que os livros didáticos podem ser. “O bonito de ver o livro enquanto material de encerramento da jornada é poder observar todo o processo, desde o primeiro módulo, tomando concretude neste produto. E também como cada um dos conteúdos influencia até mesmo nas discussões e sensibilidades propostas pelos alunos”, conta Mariana Watanabe, educadora da oficina.

Paulo Poltronieri, um dos participantes da oficina, curtiu bastante o processo. “Tivemos a liberdade de opinar e discutir como e o que ia ter no livro. Voltar a escolher fontes e usar a ferramenta CorelDraw me trouxe várias lembranças. O processo me ajudou a trabalhar em equipe. Mesmo tendo experiência, fico perdido dentro de grupos grandes. Além disso, tive a oportunidade de deixar um pedaço meu com cada um que recebeu o livro!”

Mariana detalhou o foco do módulo. “O nosso processo foi iniciado pelo questionamento de que, cada um, aprende de maneiras diferentes. Cada aluno, então, pensou em algo que gostaria de ensinar e maneira como gostariam que isso fosse ensinado para eles. Pensamos em construção gráfica, como a diagramação, as ilustrações podem influenciar o aprendizado. As matérias criadas foram: exploracidade, desartes, como dar os melhores abraços do mundo, mundo nerd e coisas, negócios e trecos.”