Encontro de setembro tem formação sobre modelo de negócios e reflexão sobre atuação da Escola de Notícias; Emygdio Carvalho foi o convidado.

Excepcionalmente em setembro no segundo fim de semana, o Conselho Consultivo da Escola de Notícias se reuniu no ultimo dia 12 no Espaço Cultural Nathália Rosemburg, na Praça do Campo Limpo, para dar continuidade ao seu trabalho de desenvolvimento institucional. O grupo é formado por educadores, equipe EDN e  jovens das últimas temporadas da Escola de Comunicação Comunitária (ECOM).

UM ESPAÇO FORMATIVO

Como vem acontecendo mês a mês, a Escola de Notícias convidou um especialista para a primeira parte do encontro, momento no qual todo o grupo, incluindo a equipe executiva, podem aprofundar seus conhecimentos nas áreas de governança e gestão e melhorar os processos institucionais.

Idealizador do Movimento Eu Voto Distrital e atualmente Coordenador de Estratégias da Rede Nossas Cidades, Emygdio Carvalho é formado em Administração Pública pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e um apaixonado por negócios de todos os tipos e em todas as áreas. Por isso, foi sobre isso que ele veio falar ao Conselho Consultivo.

A COMUNIDADE COMO CLIENTE

Emygdio trouxe muito de sua experiência empreendendo diversos negócios e projetos, traçando paralelos entre o empreendedorismo de mercado e o de causas sociais. Em muitos aspectos, apontou Emygdio, os dois são iguais. E um dos grandes desafios é, justamente, o setor social trazer práticas e tecnologias do segundo setor sem que esses elementos descaracterizem a humanidade do trabalho social.

Para nós, Escola de Notícias, isso é uma realidade e uma crença. Entendemos e trabalhamos na perspectiva de que todos os públicos com os quais nos relacionamos são nossos clientes, especialmente a comunidade local. Enxergar os moradores como clientes, e não como público alvo de nossas atividades, não é apenas uma mudança de nomenclatura, mas de ponto de vista, de visão de mundo. Clientes, por exemplo, mudam a dinâmica institucional, faz a organização ter que oferecer novos produtos e serviços a partir de demandas apresentadas. E para nós, esse é um dos grandes desafios do setor social atualmente.