Dedicada à formação e ampliação de oportunidades e experiências dos jovens que participam da Escola Comunitária de Comunicação – ECOMCOM, em março deste ano a Escola de Notícias deu início ao Ciclo 2 do seu projeto principal

Está escrito na imagem da capa do Facebook da Escola de Notícias o que também está vibrante no dia a dia da Associação: “Acreditamos em uma comunicação que impulsiona transformações nos espaços e nas relações”. E é a partir dessa crença que nasceu a Escola Comunitária de Comunicação. Apelidada de ECOMCOM, trata-se de uma jornada de oportunidades com três anos de duração que convida jovens entre 16 e 22 anos para formações técnicas e de autoconhecimento, processos de mentoria profissional e oportunidades de geração de trabalho e renda.

Se, ao longo desses três anos de ECOMCOM, o primeiro é focado na formação dos jovens, o segundo, que chamamos de Ciclo 2, é voltado para a mobilização de oportunidades e experiências nas áreas de interesse levantadas com cada jovem que tenha completado o Ciclo 1.

Explicado por Daniella Dolme, jornalista voluntária responsável pelo Ciclo 2 da ECOMCOM junto com a Escola de Notícias, é um ano de “oportunidade desses jovens se conectarem e trocarem com profissionais que já têm uma super bagagem, para conhecer melhor diferentes áreas de atuação e, assim, ajudá-los no processo de fortalecer a busca pelo seu propósito de vida.”

Daniella, que integra a equipe da Escola de Notícias desde 2014, também acredita “na comunicação como uma ferramenta de transformação”. Ela diz que “quando descobri a Escola de Notícias, foi um encontro lindo, amor à primeira vista e uma forma de reunir duas das minhas paixões: comunicação e formação de jovens. E aí tive a oportunidade de co-criar esse programa com a equipe, pensando em como poderíamos dar continuidade à ECOMCOM”.

MAS AFINAL, O QUE É O CICLO 2?

“A ideia é que os meninos e meninas tenham essa oportunidade de se aprofundar nas suas áreas de interesse, conheçam quem já realmente trabalha no campo e lida com as alegrias e desafios do dia-a-dia, antes de fazer faculdade ou entrar no mercado de trabalho. É como se fosse um processo de preparação não só para sua vida profissional, mas para a descoberta e escolha do seu propósito de vida, ‘o que eu quero fazer para deixar de legado no mundo?’”, conta Daniella.

Esse ano decidimos esticar um pouco a duração do processo, que terá entre 4 e 5 meses de duração, com a intenção de deixar mais tempo para que as duplas (jovem-mentor) realizem mais encontros presenciais e boas conversas.

Além de ser uma estratégia de fortalecimento dos projetos de vida dos jovens, o Programa de Mentoria também diminui o distanciamento entre os profissionais e a periferia, já que uma das ações do projeto é, justamente, profissional e jovem, juntos, fazerem alguma intervenção dentro do Campo Limpo com os saberes de ambos.

“Para os mentores e mentoras essa é uma grande oportunidade de se perceber como profissional e também de troca, porque cada um da turma certamente vai trazer muitos questionamentos e conhecimentos que tem a ver com sua história de vida, sua trajetória na Escola de Notícias e sua visão de mundo, provocando reflexões sobre quem é esse mentor/a, sobre como é o seu ‘fazer’ e como tudo isso está tão interligado”, finaliza Daniella.

MOBILIZAÇÃO DE OPORTUNIDADES

A partir do segundo semestre deste ano, o Ciclo 2 traz também irá oferecer a mobilização de cursos, palestras, workshops e conversas dentro das áreas de interesse de cada jovem, para ampliar ainda mais o seu repertório e vivências.