Participantes da Escola Comunitária de Comunicação da temporada passada passam a integrar o Conselho Consultivo Institucional; espaço é usado para formações e tomadas de decisão institucional.

No sábado,5, durante a primeira reunião de trabalho de 2016, o Conselho Consultivo reservou um momento para a acolhida e apresentação de seus quatro novos integrantes. Ex-participantes da Escola Comunitária de Comunicação – ECOMCOM2015 – Thaís Zanetti, Tamyres Porto, Débora Pereira e Gustavo Domingos se juntam às representantes das temporadas 2013 e 2014, compondo o mais importante espaço de decisão institucional da Escola de Notícias.

Atuando como um guardião do propósito e fiscalizador do trabalho realizado, o Conselho Consultivo nos ajuda a não nos distanciarmos do verdadeiro motivo pelo qual a Escola de Notícias nasceu e existe no mundo: abrir espaço para as pessoas fortalecerem seus propósitos de vida. Sendo formado por ex-alunos e moradores da região, o grupo também contribui de maneira direta na manutenção de atividades que, verdadeiramente, estão alinhadas com as vontades do território.

DAS MOTIVAÇÕES

Débora, da oficina de Fotografia & Vídeo, explica que a vontade de entrar no conselho tem como motivação contribuir para que as próximas turmas possam viver as experiências que ela viveu com a mesma intensidade, mesma opinião partilhada por Thaís, da oficina de Jornalismo & Escrita Criativa: “Quero construir ciclos cada vez mais iluminados para os próximos pupilos”, brinca.

Para Thaís, um dos principais fatores que diferenciam a iniciativa é justamente essa possibilidade de interferir diretamente na vida organizacional. “Ela faz com que os alunos tenham uma participação vital em todo o processo, faz com que pensemos por conta própria. Para mim, contribui na construção deste nosso eu pessoal e social”, analisa, seguida por Tamyres, que concorda.

Participante de Fotografia & Vídeo, Tamy acredita que contribui muito para essa relação diferente o modo como as pessoas se envolvem com a Escola de Notícias: “Acredito que o grande diferencial seja essa vivência dos dois lados, tanto do aluno quanto do educador. Tem um envolvimento maior, uma entrega de ambos os lados”, observa ela.

Sempre motivo de muitas e boas conversas, a Escola de Notícias ter uma primeira vida apenas até 2024 é sempre motivo para inquietações. Thaís, por exemplo, acredita que o fim é necessário, realmente. Ela diz que “é melhor que exista por pouco tempo e torne plena a passagem de todas, do que se tornar algo maçante e sem transformação de fato”. Já Gustavo, que passou pela Criação Gráfica, pensa um pouco diferente: “Eu não acredito que este fim seja necessário como os demais. Afinal de contas, se a Escola de Notícias é uma coisa boa, tão inovadora como é, por qual motivo ela teria que acabar?”, provoca.

Tamy, Gustavo, Débora e Thaís terão muito tempo para discutir este e vários outros temas ao longo de 2016. O Conselho Consultivo da Escola de Notícias encontra-se mensalmente no Espaço CITA, dividindo seu tempo entre formações em temas de interesse e deliberações em pautas estratégicas da organização.