Escola de Notícias é o parceiro técnico de mais uma iniciativa focada em geração de conteúdos e juventude; o projeto é da ONG Ação Comunitária e vai até 2014.

Quatro. Esse é o número de iniciativas que fazem uso das Tecnologias de Informação e Comunicação – TICs que estão sendo desenvolvidas nesse momento pelo Escola de Notícias atuando como parceiro técnico, ou seja, formador, à convite de diversas organizações sociais por São Paulo. Nessa quinta-feira, 3, mais uma projeto foi iniciado com a Ação Comunitária, ONG de mais de 46 anos que atua oferecendo suporte técnico e operacional a organizações de base dentro da periferia da cidade.

Idealizado para ser um espaço de estudo e ações voltadas para a comunicação como ferramenta de cidadania, o Núcleo de Comunicação AMJ é uma ideia criada pela Ação Comunitária que reune jovens de ONGs da zona sul de São Paulo para percorrem durante um ano uma jornada de estudos sobre o rádio, fotografia e o jornalismo escrito.

Mesclando aulas teóricas e práticas, o grupo irá entender como funcionam as principais publicações do país, a história dos meios de comunicação no Brasil, como eles se organizam, além de vivenciarem tecnicamente a produção de reportagem em diversas linguagens. Além disso, o Núcleo de Comunicação AMJ também irá promover intervenções junto a outros jovens de ONGs parceiras da Ação Comunitária, provocando discussões sobre temas que possam ser transformados em matérias para a Revista Jovem F5, publicada e distruida mensalmente pela Ação de forma gratuíta a parceiros, financiadores e jovens que integram o Programa Preparação para o Trabalho – PPT.

materia3

CO-APRENDER E SE DIVERTIR
No encontro da última quinta-feira parte do grupo já pôde experimentar como será essa jornada de aprendizagem rumo à geração de conteúdos: divertida, leve e significativa. Focado em tornar acessível os conceitos teóricos sobre o processo comunicativo, o Escola de Notícias promoveu uma vivência que misturou MV Bill, Programa do Ratinho, Furo MTV, Programa Ensaio, entre outros.

Para Tony Marlon, que facilitou o processo, não se trata de ensinar sobre comunicação, mas, sim, tornar os conceitos experimentáveis de forma que não sejam decorados, mas, sim, trazidos para a consciência, experimentados. “Todos nós somos sabemos aquele velho desenho em que aparecer emissor, receptor, mensagem e contexto. Já vimos isso em muitos lugares. A brincadeira, agora, é conseguir tornar isso conhecimento. E a gente só aprende aquilo que é significativo e prazeroso”, conta o faciltador. “Por isso essa mistura toda de vendas, canetinhas, música e programas que todos nós assistimos todos os dias. Ninguém veio aqui aprender semiótica. Pelo menos não com esse nome”, finaliza.

O Núcleo de Comunicação AMJ será realizado pela Ação Comunitária até junho de 2014. O Escola de Notícias é parceiro técnico de execução, sendo responsável pelas formações técnicas do grupo. Com os recursos, o EDN poderá investir na continuidade de seus projetos próprios, tais como a Escola de Comunicação Comunitária, Jornal Viver Campo Limpo, entre outros.